segunda-feira, 26 de maio de 2014

Shampoo desamarelador caseiro - com Violeta Genciana


Fiz um vídeo rápido e sem áudio, só mesmo para mostrar como se faz o shampoo.
Bom, era para ser sem áudio, mas daí aparece a minha mãe falando do gato, o gato miando... e aí a minha ideia de vídeo sem áudio se foi. Mas fica valendo a intenção. rs
Dessa forma a VG pode ser usada sem medo. Não mancha a pele e nem os cabelos, mas, se for deixado agindo pode chumbá-los ( deixá-los cinza). Use-o normalmente como um shampoo comum.


video

domingo, 25 de maio de 2014

Chá de Hibisco, Goji Berry e Gengibre em pó.

Como contei no post anterior, estou usando o trio acima como aliados do meu emagrecimento.
Já tive excelentes resultados, mas o meu peso ainda é assustador.
Vou falar sobre a minha experiência com cada um deles.
Chá de Hibisco:

O mais importante aqui é ficar atenta ao tipo de Hibisco que está comprando. A espécie da flor que tem o poder de queimar gordura nas regiões da barriga e quadris é a Hibiscus Sabdariffa, e não o Hibiscus rosa-sinensis.
Veja a diferença:

Hibiscus Sabdariffa

Hibiscus rosa-sinensis

Portanto, cuidado na hora de comprar.
Você encontra as flores desidratadas para comprar à granel em lojas de produtos naturais ou encontra os saquinhos no mercado.
Eu consegui comprar as flores graças a uma loja ma-ra-vi-lho-sa que abriu aqui, finalmente!
O chá deve ser feito da seguinte forma: Assim que começarem a formar as primeiras bolhinhas de ar na água, desligue o fogo, coloque as flores e abafe.
Ele fica numa cor vermelho-vivo linda de viver!
Não é amargo. Dá para tomar sem açúcar ou adoçante na boa. ( milagre, sim ou com certeza?)
Tem sabor de groselha e fica um azedinho no final. Delicinha! 
Estou tomando um litro por dia há uma semana.
Já tive resultados surpreendentes. Apesar da promessa ser queima de gordura especialmente na região do abdomem e quadris, eu notei uma boa reduzida no corpo todo.
Neste link aqui você encontra informações bem detalhadas com a opinião de uma nutricionista.

Goji Berry:


Eu não gostei dele puro. O sabor lembra passas, figo...coisas que eu odeio. Mas quem gosta vai curtir.
Estou misturando ao iogurte e dessa forma não sinto o gosto. A textura dele é gostosa para mastigar.
Não sei definir. É firme, mas é macio. Tem leve crocância. 

Gengibre em pó:

Esse é ruim que dói. Definitivamente eu e sabores amargos não temos nenhuma afinidade.
O objetivo dele é acelerar o metabolismo.
A atendente da Bonne Santé me mandou adicioná-lo à sopas, iogurtes, feijão, sucos... mas é brabo viu?
Meus parabéns para quem gosta.

O fato é que nenhum deles faz milagre se a alimentação não mudar. Não estou sofrendo numa dieta restritiva, mas não estou abusando de massas, doces e frituras.

Vocês já experimentaram algum desses? Conta pra mim como foi.
Beijos!









quinta-feira, 22 de maio de 2014

Alô? Tem alguém aí?

Cara de pau.
Podem dizer...
Como assim sumir desse jeito né?
Mas não, por favor não pensem que eu sou dessas que procuram apoio quando precisam mas que abandonam as companheiras quando mudam de prioridades.
Estou aqui para vocês, sempre!
A verdade é que eu ando sem assunto.
É casa-trabalho, trabalho-casa.
No trabalho está tudo bem, a cada dia me jogam mais responsabilidades nas costas, mas fazer o quê né?
A novidade agora é que fui convocada para representar a empresa numa feira de empreendedorismo.
Ninguém me perguntou se eu queria ou ao menos poderia. Serão dois dias lá no IFF, que fica praticamente fora dos limites da cidade. O dia inteiro.
Estou orando. Quem sabe Deus me dá o livramento? rs
Sinceramente eu não entendi essa convocação. Eu sou nova na empresa. Apenas 3 meses. Existem funcionárias na mesma função que eu que trabalham lá há anos. Elas sim estão preparadas para discursar.
Mas enfim... manda quem pode, obedece quem tem juízo.
Em casa está tudo bem também. As crianças mudaram de escola, estão novamente num colégio particular.
Tentamos o colégio público mas na boa...não dá...
Brigas, xingamentos, pornografia... minhas filhas viram de perto tudo aquilo das quais eu as protegi durante todos esses anos.
O mundo realmente tomou um caminho sem volta.
No colégio particular os problemas são outros e melhor contornáveis. É a coleguinha esnobe com material de Ryca que faz inveja nos outros, é o menino chato que se acha o máximo... minhas filhas estão mais do que vacinadas contra esse tipo de bobeira.  Chegam em casa dando risada e contando tudo.
Minha alimentação está ok. Estou tomando chá de hibisco, comendo Goji Berry, salpicando gengibre em pó em tudo e comendo normalmente, porém com moderação.
Já vejo resultado nas roupas, principalmente nas calças que estão folgadas. A barriga eu sei que vai demorar para diminuir, mas meus braços e pernas afinando já me anima bem.
Nada de atividade física por enquanto, mas estou planejando começar a caminhar.
Eu sentia pena de trabalhar o dia todo e ainda sair de noite ao invés de ficar com as crianças, mas nas 4º e 6º eu já saio mesmo para ir à Comunidade Resgate, então eu pensei em aproveitar que já estarei fora e engatar uma caminhada ao sair de lá.
Preciso colocar algumas músicas incentivadoras no meu mp3, ver se tenho alguma roupa decente porque acabei usando as roupas de malhar em casa e elas se desgastaram e daí, quem sabe...
Bom, é isso.
E vocês, tem novidades?
Conta pra mim...
Beijossss!!!!

sábado, 3 de maio de 2014

Desabafo

Vou ser curta e grossa:
Esse blog é meu e aqui eu falo sobre o que quiser. Beleza?
Se você é imaturo (a) demais para ouvir ou ler certas coisas, não siga em frente.
Eu sou uma pessoa aberta, questionadora, estou em constante evolução, e escrever me ajuda muito nesse processo.
Nunca serei aquele tipo de pessoa que aceita respostas como: " Sim porque sim e não porque não".
Entendido isso, aviso que o assunto de hoje são Religiões.
Pois bem, eu sou filha de pais Espíritas.
Minha mãe é kardecista e meu pai era Umbandista. Digo "era" porque na verdade eu não sei se ele está vivo ou morto. Eles se separaram eu era pequena e nunca mais o vi.
A minha família é enorme e nela tem de tudo:
Maçônicos, Espíritas, Católicos, Evangélicos, Agnósticos, Ateus...
Eu não tive educação religiosa. Fui batizada para cumprir uma tradição somente. Depois disso nunca mais voltei à Igreja.
A Umbanda do meu pai nunca me influenciou e nem o espiritismo da minha mãe.
Conheci as duas doutrinas.
Meu pai nos levava nas festas e em algumas outras cerimônias, mas algo me incomodava naquele ambiente.
Nada parecia fazer sentido. Não havia uma pregação, um ensinamento, nada. Era somente dança, pessoas falando de forma estranha, fazendo gestos estranhos. Muito mistério e eu não gosto de mistérios.
Haviam coisas esquisitas por todo canto e ao que eu perguntava o que eram e para que serviam recebia como resposta troca de olhares misteriosos entre os membros e sorrisos enigmáticos.
Depois de adulta tive uma amiga que também era de uma dessas religiões não-Cristãs, no caso dela era o Candomblé.
Também recebia convites para participar de festas e cerimônias e era a mesma coisa. Para qualquer pergunta, a resposta era um sorriso estranho e olhares sombrios.
O espiritismo Kardecista é até atraente. Ambiente clean, pessoas educadas e de fala mansa, resposta pra tudo, explicação pra tudo. Totalmente satisfatório. O que me incomoda neste caso é o conformismo deles.
Como acreditam em reencarnação, eles aceitam os reveses da vida na condição de merecedores.
Todo sofrimento, problema e obstáculo é merecido porque estamos aqui para pagar por erros cometidos anteriormente. Tudo é para nossa evolução espiritual. Escolhemos estar aqui e levando a vida que levamos na condição de nos aperfeiçoarmos.
Isso me incomoda sabe? Não gosto de pensar que as minhas filhas, meu marido, meu irmão, minha mãe e até eu mesma somos almas velhas, com assuntos pendentes e que estamos aqui cumprindo uma missão, e que estando a missão cumprida... pluft!
Eu prefiro pensar que recebemos a vida como presente divino, que ela é toda nossa e que o tempo de nossa vida é determinado pela forma como cuidamos dela. Se somos cuidadosos vivemos muito, senão...pluft!
Eu estava na 6º série quando fiz amizade com uma menina. A amizade cresceu, estávamos sempre juntas, e a mãe dela era Pastora. Acabei sendo evangelizada por ela e até hoje a Raquel é a minha melhor amiga, e a tia Iris é uma das pessoas que eu mais amo e respeito no mundo. Ela é uma mulher espetacular!
Quando conheci o meu marido, que é Católico praticante desde criança, tivemos alguns conflitos por diferenças religiosas.
Ele queria batizar as crianças e eu não queria deixar, ele rezava o terço...enfim, coisas que eu fui educada a rejeitar.
Com o tempo, e aconselhada pela minha pastora, acabei me tornando mais tolerante para evitar brigas e acabei conhecendo a doutrina Católica mais de perto, o acompanhava nas missas e outros eventos e vi que a Igreja católica não era o demônio que todo mundo dizia. ( todo mundo da minha igreja)
Fui me aprofundando mais e mais e acabei me convertendo, mas ainda assim existem coisas que me incomodam.
São muitos simbolismos e muitas respostas vazias. Para todo questionamento as respostas são as mesmas:
" Jesus te ama", " Deus é amor", " ame ao próximo", " saia do pecado" , " Jesus morreu por nossos pecados" e etc etc etc.
Pode ser que satisfaça a alguém, mas não a mim.
No dia 1º de Maio , feriado, me convidaram para rezar mil Ave Marias.
Peralá...mil Ave Marias??? Porque? Qual o propósito disso? Um dia inteiro repetindo uma oração?
Aí me olham com aquela cara de espanto tipo: " Ohhhh ela está contestando a fé!"
Mas não tem que contestar?
Eu acho válida a ideia de manter ocupadas pessoas que precisam. Gente que está com problemas em casa, que está em reabilitação de drogas e etc.
Feriado, um dia feito para a ociosidade... pode não ser bom para algumas pessoas. Então a igreja inventar uma ocupação para elas eu acho ótimo, mas achar ruim que algumas outras pessoas prefiram ficar em casa descansando eu acho demais.
Nesse ponto vocês devem estar se perguntando porque então eu não continuo na igreja evangélica onde fui criada e eu respondo:
Eles gritam demais!
Aquilo sempre me constrangeu. E eu sentia culpa por sentir vergonha da minha igreja mas me afundava no banco sempre que começava aquela gritaria.
Também me incomodava o fato deles darem muita atenção ao diabo. Tudo é o diabo!
As pessoas não são responsabilizadas por nada.
Se cometem adultério foi o inimigo, se matam alguém foi o inimigo, se usam drogas foi o inimigo, se espancam os filhos foi o inimigo, se bebem, jogam, se prostituem...tudo é o inimigo. Como se não fôssemos livres para fazer escolhas. Como se não tivéssemos consciência de nada. Como se fôssemos...animais irracionais.
Não dá pra mim... não me desce. Até hoje eu não conseguir engolir nenhuma dessas religiões, nenhuma dessas respostas, nenhuma dessas explicações. Nada.
Será que me falta fé?